I SIMPÓSIO DE PESQUISA EM ALIMENTAÇÃO

No dia 7 de dezembro de 2018 aconteceu o  I Simpósio de Pesquisa em Alimentação, organizado por nós do  Comida na Cabeça e o Laboratório de Estudos Históricos das Drogas e da Alimentação (Lehda), na USP, em São Paulo.

O evento comemorou os 5 anos do Comida na Cabeça e reuniu pesquisadores para conversar sobre metodologias para se estudar a alimentação na história, antropologia, sociologia, comunicação e linguística.

Aqui, trazemos um pouquinho do aconteceu ao longo da atividade.

O simpósio começou com a historiadora Wanessa Asfora, que apresentou um panorama sobre as pesquisas em alimentação.

Em seguida, a historiadora Eliane Morelli mediou a mesa Ontem, a respeito do percurso histórico da nossa relação com a alimentação.

A historiadora Rafaela Basso abriu a mesa falando sobre pesquisa documental e relacionado a metodologia com sua pesquisa de doutorado, sobre comida de rua em São Paulo.

O historiador João Luiz Máximo foi a segunda fala da mesa, e abordou a pesquisa em alimentação a partir da cultura material.

A discussão seguiu com a historiadora Adriana Salay Leme, que apresentou a história intelectual, relacionando-a com sua pesquisa de doutorado, sobre a fome, a partir do ponto de vista de Josué de Castro.

A turismóloga Maria Henriqueta Gimenes-Minasse encerrou a mesa e as atividades da manhã com uma discussão sobre história oral, relacionada a sua pesquisa de doutorado sobre o barreado.

Na parte da tarde, o simpósio seguiu com a mesa Hoje, voltada para nossa relação contemporânea com a alimentação e mediada pela historiadora Sênia Bastos.

A jornalista Silvana Azevedo abriu a mesa apresentando sua pesquisa de doutorado, que relaciona língua e cultura italiana com alimentação em São Paulo.

O sociólogo Carlos Alberto Dória trouxe uma discussão sobre o uso da cartografia sócio-histórica para se pensar a cozinha brasileira.

A jornalista Joana Pellerano falou da pesquisa sobre alimentação no campo da comunicação, relacionando com sua pesquisa de doutorado sobre consumo e identidade.

Por fim, a antropóloga Paula Pinto e Silva falou sobre etnografia e algumas dificuldades na pesquisa acadêmica sobre alimentação.

Para encerrar o evento, o historiador Henrique Carneiro, coordenador do Lehda, apresentou algumas tendências na pesquisa sobre alimentação.

O I Simpósio de Pesquisa em Alimentação foi a concretização do que planejamos para o Comida na Cabeça: um espaço de encontro das diferentes abordagens socioculturais que compõem o universo acadêmico voltado para a alimentação. Por isso foi tão importante comemorar os 5 anos do site com esse debates tão ricos sobre as particularidades e dificuldades desses diferentes campos do conhecimento, diante de uma plateia cheia e interessada. Agradecemos a todos os palestrantes e participantes por ajudarem a tirar esse evento do papel com tanto êxito. Até o próximo!

Anúncios